Ser Mãe

“Quero passar o Dia das Mães juntinho dos meus filhos”

Toda mulher vive um misto de emoções ao confirmar uma gestação. Seja por aquelas que já possuem experiência, ou pelas iniciantes, a chegada de um bebê é repleta de alegrias, medos, euforia e outros sentimentos difíceis de entender, em um primeiro momento.
Em meio a esse universo de novos sentimentos, a agricultora Marta Ramos do Amaral soube que realizaria um de seus sonhos, ser mãe de gêmeos. Porém, o destino preparava algo a mais e surpreenderia a família moradora de Linha Mânica, interior de Redentora.
Mãe de outros quatro, sendo uma menina (18 anos) e três meninos (15, 9 e 7 anos), Marta conta que sempre desejou uma família numerosa, ao mesmo passo em que nutria a vontade de ser mais de gêmeos. “Nós não estávamos planejando. Tanto que descobri a gestação aos 5 meses. Logo nas primeiras consultas, eu soube que seriam gêmeos. Porém, como eu passava muito mal durante as ultrassonografias, nunca conseguimos olhar bem”, recorda a mulher de 39 anos.
Segundo ela, com tudo pronto, até mesmo com a data da cesariana marcada, houve uma mudança. “Devido a possibilidade da necessidade de uma incubadora, a equipe médica que me atendia optou por fazer uma consulta em Passo Fundo. De lá voltei com meus filhos nos braços. Estava com 36 semanas e dois dias de gestação”, conta. Marta deu à luz a Aurora, a Aila e ao Alan.
O caso ganhou repercussão regional, tendo em vista que não há muitas gestações trigemelares na região. Com a ajuda do governo e também de uma campanha, a família conseguiu diversas doações para que a recepção dos três bebês fosse a melhor possível.
Hoje Marta vive uma intensa rotina, na intenção de ser mãe de sete filhos. Segundo ela, os bebês possuem horário para mamar, o que ocorre durante a madrugada. “A organização é sempre o fator mais complicado, mas passado isso é uma alegria”, diz ela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.